Manifesto da Transvenção

Ontem, dia 02/04/11, fui no primeiro encontro do Manifesto da Transvenção no Studio Clio, aqui em Porto Alegre. Com a pergunta “Quem se importa com a cidade?” o pessoal do Estúdio Nômade e o professor Dr. Francisco Marshall chamavam os cidadãos para discutir novas e diferentes maneiras de pensar os espaços urbanos. A discussão ficou bastante em torno do projeto Estante Pública que instalou prateleiras e colocou livros em pontos de ônibus.

A ideia dos encontros (serão 3 ao total) é formatar o Manifesto da Transvenção. Segue texto retirado do site do Studio Clio:

Transvenção é um novo conceito para práticas atuais. Trata de estratégias e desejos coletivos, que independentes em sua ação criativa na cidade, ampliam afetividade, conhecimento e convívio. “Manifesto da Transvenção” serão encontros para afirmação desta ideia que, em formato de reunião aberta, vai colocar na roda ações que estão sendo elaboradas na cidade. Entre estas práticas está o projeto Estante Pública, que foi contemplado em 2010 pela Funarte, como uma proposta original de pesquisa e desenvolvimento da transvenção. Traga suas ideias, projetos e ações para uma conversa efervescente!

Daniel Caminha, do Estúdio Nômade, convidou as pessoas para trocarem ideias sobre projetos em que já estejam envolvidas ou que apenas pensam em fazer. Ideias de como, por exemplo, reutilizar espaços urbanos de forma que tragam maior conscientização à população.

O que eu achei muito interessante a respeito da Estante Pública é que não há regras. As pessoas podem ler um livro enquanto esperam um ônibus e devolver pra prateleira, podem levar pra casa e devolver depois ou podem até levar embora e nunca mais devolver. Claro que essa última opção não é a ideal. Mas vai saber se a pessoa não vai fazer um ótimo uso desse livro?

Eu acho que muitas vezes a gente fica pensando em vários “poréns” que acabam nos impedindo de colocar as coisas em prática. Admiro a atitude do Estúdio Nômade porque eles foram lá e fizeram. Tanta gente que tem projetos legais que ficam apenas na cabeça… Estudando Arquitetura eu entendo cada vez mais que não adianta deixar o projeto na gaveta, tem que concretizá-lo!

É impressionante como as coisas se encaixam quando a gente está sintonizado. Dia desses eu tive que sair pra ir pra PUCRS, da Rua João Telles esquina com a Avenida Osvaldo Aranha, às 18:45. Eu levei 50 minutos pra chegar, sendo que, com o trânsito normal, eu levaria apenas 10 minutos. Subi toda a Avenida Protásio Alves reparando na quantidade absurda de carros onde estava apenas uma pessoa (inclusive o meu) e na quantidade de ônibus relativamente vazios. Juro que me deu até uma angústia em pensar como vai ser o futuro da nossa cidade.

Então,  fui pesquisar quantos veículos são vendidos no Brasil e fiquei chocada. Em 2011, já foram emplacados 1,29 milhões de veículos (automóveis, caminhões, motos, ônibus, etc) segundo a FENABRAVE. A previsão até o final do ano são de 5,95 milhões de emplacamentos. Não tem como não se chocar com esses dados. Cada dia mais as cidades são dos carros e não das pessoas (lembram do vídeo São Paulo Ilógica que postei aqui?).

Quando eu disse que as coisas se encaixam, eu me referia a toda essa reflexão que eu fiz enquanto dirigia e que acabou se conectando com o Manifesto da Transvenção. Fiquei pensando em maneiras de se resolver algumas questões que envolvem o trânsito. Educação, respeito, resoluções do poder público são algumas maneiras, mas, que às vezes são complexas ou de resultado a longo prazo. Mas tem muita coisa que nós mesmos podemos fazer. Vide o PortoAlegre.cc!

Se cada um de nós pensar e colocar em prática alguma ação, com certeza a soma de todas elas será forte pra fazer a diferença. A Estante Pública torna menos entediante a longa espera pelo ônibus assim como entrega mais cultura à população. Fica aqui o convite para aqueles que se sentem chamados a participar do próximo encontro, no dia 7 de Maio, e a ajudar a pensar em alternativas de melhorar nossa querida Porto Alegre.

Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Manifesto da Transvenção

  1. Guadalupe disse:

    Bah… Queria muito ter ido, mas o combo amigdalite + sinusite me deixou em casa, jogada na cama como travesseiro de consolo e a febre…

    Mas bom saber como foi por aqui🙂

    Nos vemos em breve.

    Bjbj

  2. Gabi disse:

    Bah, que pena que só conheci o blog hoje e não sabia desse encontro! Espero poder ir no próximo!!

  3. Cool Guide disse:

    O Porto Alegre.CC é um ótimo exemplo realmente, esperamos realmente que cada um ajude a fazer estas ótimas ideias e projetos sairem do papel.

    Abraço.

  4. Jorge Piqué disse:

    Estive lá no StudioClio também. Realmente um belo projeto, tem tudo para ser ampliado e dar certo. Claro que no processo muitos livros serão levados embora e inclusive revendidos, mas isso é um detalhe comparado com os benefícios oferecidos. Espero que aumentem o número de locais e seja um sucesso, parte da história da cidade.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s